Comércio criou 13,7 mil empregos e aumentou remunerações em 3,8%

2015 foi um ano de recuperação para o comércio em Portugal, com o sector a criar emprego, aumentar o volume de negócios e a margem comercial.

O Instituto Nacional de Estatística publicou esta sexta-feira, 23 de Dezembro, um relatório sobre a evolução do comércio em 2015, ano que foi de recuperação para o sector.

O volume de negócios das 220,7 mil empresas a operar no sector aumentou 3% em 2015, para 123,2 mil milhões de euros. A margem comercial cresceu 4,1% para 21,7 mil milhões de euros, o equivalente a uma margem por empresa de 98,4 mil euros.

O número de empresas total desceu 0,5% no ano passado, sendo que a esmagadora maioria emprega menos de 50 pessoas.

As empresas do sector do comércio empregavam 732,5 mil pessoas no ano passado, o que representa um aumento de 1,9%. Foram criados 13,7 mil empregos, depois da redução de 0,6% em 2014. No total o comércio emprega agora 20,7% dos trabalhadores do sector privado não financeiro.

De acordo com o INE as remunerações destes trabalhadores aumentaram 3,8% no ano passado, mais do que duplicando o ritmo de crescimento verificado em 2014 (+1,5%).

O comércio por grosso representa mais de metade do volume de negócios no sector, seguindo-se o retalho (36,4%) e o subsector automóvel (13,4%). Na distribuição do emprego os pesos do retalho é bem superior (57,3%).

No ano passado existiam 3.348 unidades comerciais de dimensão relevante em Portugal, que aumentaram o volume de negócios em 1,9% para 16,5 mil milhões de euros. Estas unidades empregavam mais de metade dos trabalhadores: 107,9 mil, dos quais 29,7% em trabalho temporário.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Jornal de Negócios

23/12/2016