Governo já contratou investimento de 760 milhões na agricultura

Nos últimos 11 meses, foi aprovada a contratação pelo Estado de 7.100 projectos com investimentos de 760 milhões de euros em explorações e na transformação e comercialização de produtos agrícolas.

Quando tomaram posse das funções executivas, há pouco menos de um ano, os actuais titulares da pasta da Agricultura encontraram "29 mil candidaturas a apoios" no investimento no sector, dos quais "70% já foram analisadas" desde então, defendeu esta terça-feira, 25 de Outubro, Luís Medeiros Vieira.

O actual secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, que falava durante a segunda edição da Mcdonald’s Business Iniciative for Agriculture (MBIA) Talk, garantiu ainda que, nos últimos 11 meses, foram "contratados 7.100" projectos para investimento no sector – nomeadamente em explorações agrícolas e na transformação e comercialização de produtos agrícolas.

Tal contratação – entre os Estado e as entidades responsáveis pelas candidaturas, onde se contam agricultores, empresas, associações e organizações de produtores – representa, contabilizou Medeiros Vieira na manhã desta terça-feira, 25 de Outubro, 760 milhões de euros de investimento no global. Com "400 milhões de euros de apoios a fundo perdido", financiados pelo Plano de Desenvolvimento Rural 2020 (PDR 2020), sublinhou.

"No final do primeiro trimestre de 2017", estimou, o Ministério espera "ter todas as candidaturas decididas" deste lote. Paralelamente, no próximo mês de Novembro, garantiu ainda o governante, "vão abrir em Novembro novas candidaturas" para as mesmas medidas – investimento em explorações agrícolas (3.2.1) e na transformação e comercializações de produtos agrícolas (3.3.1) – conforme, aliás, está previsto no calendário do PDR 2020.

Investigação com 30 milhões
No caso específico de projectos de inovação na agricultura em parceria – agricultores, organizações de produtores, empresas e academia – foram recebidos 360 candidaturas, das quais "foram já seleccionadas 250", adiantou o secretário de Estado. Neste processo, que estará terminado até 30 de Novembro, os candidatos concorrem a financiamento (também do PDR 2020) de 30 milhões de euros – dos quais 75% do valor elegível é apoiado a fundo perdido.

À plateia de empreendedores em projectos agrícolas, Medeiros Vieira relembrou ainda que, além do financiamento ao investimento viabilizado pela Política Agrícola Comum (PAC) e materializado no actual PDR 2020, existe um protocolo, em vigor, subscrito entre o Estado e nove bancos, que totaliza 900 milhões de euros de apoios.                                                               Fonte: Jornal de Negócios
26/10/2016