Incentivos fiscais para o carro eléctrico

Portugal deve seguir o exemplo da Noruega para ajudar o carro eléctrico a crescer, defende a presidente da APVE, apontando que o actual cheque está em linha com a Europa.

Teresa Ponce de Leão considera que Portugal deve olhar para o caso norueguês de incentivos à aquisição e utilização de carro eléctrico.

Em relação ao actual cheque de 2.250 euros passado pelo Estado na aquisição de carro eléctrico, a presidente da Associação Portuguesa de Veículos Eléctricos (APVE) diz que o valor está em linha com a Europa. 

"Comparando com os países dentro do espaço europeu consideramos que este é um valor perfeitamente enquadrável na média europeia", aponta.

No entanto, defende que são necessárias outras medidas. "Pensamos que outras medidas poderão também ser dinamizadas, como por exemplo: facilidade na utilização de corredores de bus, estacionamento gratuito. Estas medidas poderiam contribuir para incentivar a utilização de veículo eléctrico, e continuamos a dar voz a estas medidas. São medidas que tiveram grande efeito na Noruega", destaca.

Mas a presidente da APVE não fica por aqui, e vai beber mais inspiração a outras medidas norueguesas. 

"Isenção de portagens, e incentivos nos impostos de circulação, pensamos que são muitos importantes", afirma, sublinhando que resta ao Governo "adoptar ou não estas medidas".

A líder da APVE também sublinha que é importante aumentar a produção de energias renováveis em Portugal para garantir que os carros eléctricos são carregados com energia limpa. 

"Não basta falar de mobilidade eléctrica, é preciso saber de onde vem a electricidade, senão a poluição em vez de jusante surge a montante, porque a energia não tem cor, não sabemos de onde vêm os electrões", aponta Teresa Ponce de Leão.

"À medida que o mix de energia for crescendo no sentido de haver uma maior penetração de energias renováveis, isso está garantido", remata a presidente da APVE.

 

 

 

 

 

Fonte: Jornal de Negócios

29/03/2017