Martin Schulz critica suspensão de fundos comunitários a Portugal

O presidente do Parlamento Europeu alertou que os fundos comunitários são necessários para garantir o crescimento de Portugal e Espanha.

O presidente do Parlamento Europeu (PE), Martin Schulz, criticou, esta sexta-feira, a proposta de suspensão de fundos comunitários a Portugal, pelo facto de os défices de 2014 e 2015 não terem sido cumpridos. Numa conferência de imprensa em Madrid, alertou que Portugal e Espanha necessitam dos fundos para garantir o crescimento. “Temos países como Espanha e Portugal que precisam de crescimento e o crescimento pode ser alcançado com mais investimentos. Os fundos comunitários contribuem para estes investimentos”, defendeu, citado pela agência Bloomberg.

Schulz questionou se “fazia sentido que num momento em que precisamos de crescimento, impor sanções ao suspender estes fundos”. Mas reconheceu: “Há diversas opiniões [sobre a matéria]”.

O líder do Parlamento Europeu afirmou ainda que está a ser realizado um “diálogo estruturado” entre a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu, sobre a eventual suspensão de fundos. “Veremos o resultados quando, no futuro, os governantes dos dois países participarem na discussão”, relatou.

Conforme explicou o Observador, a proposta do PE sobre as sanções a Portugal só será apresentada depois de conhecido o Orçamento do Estado, seguindo a determinação das comissões do Desenvolvimento Regional e dos Assuntos Económicos.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, e o seu homólogo espanhol, Cristóbal Montoro, vão ser ouvidos ainda este mês sobre o impacto da eventual suspensão de fundo comunitários para a economia dos dois países.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Observador

10/10/2016