Prioridades do Portugal 2020 para 2017

O correcto direccionamento dos fundos do quadro de apoio Portugal 2020 será crucial no contexto do Programa Nacional de Reformas, enquanto factor mobilizador da economia nacional.

Governo aprovou, no passado dia 13 de Abril, o Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC) 2017-2021 e a actualização do Programa Nacional de Reformas (PNR) 2016-2021, com vista a alinhar a visão e a estratégia de médio prazo para o desenvolvimento do País, tendo por base a dinamização da competitividade e a superação dos bloqueios estruturais da economia nacional.

Nestes documentos, o Governo reconhece o papel de relevo dos apoios do Portugal 2020 na dinamização do investimento privado em Portugal e na alteração do perfil de especialização da economia nacional, quer em termos da sua intensidade tecnológica, quer da sua vertente exportadora. Deste modo, o correcto direccionamento dos fundos do quadro de apoio Portugal 2020 será crucial no contexto do PNR, enquanto factor mobilizador da economia nacional.

Prevê-se, assim, que as prioridades de investimento do Portugal 2020 para os próximos anos sejam direccionadas a projectos desenvolvidos nas seguintes vertentes:

A. Economia Digital e Indústria 4.0

O Portugal 2020 terá como objectivo apoiar a preparação das empresas para oportunidades de negócio previstas no âmbito da Quarta Revolução Industrial, nomeadamente na introdução de tecnologias digitais nos processos de produção, na relação com os fornecedores e com os clientes e nos produtos produzidos. Será, assim, pertinente assegurar redes digitais robustas, modernas e apropriadas a uma economia fortemente dependente da internet.

B. Transferência de Conhecimento e Intensidade Tecnológica

O Portugal 2020 continuará a direccionar os apoios para projectos de elevada intensidade tecnológica, nomeadamente, através da focalização dos apoios à Investigação, Desenvolvimento e Inovação (I&D&I) em áreas com elevado potencial de valorização económica, alinhados com as estratégias nacional e regionais para a especialização inteligente.

Este quadro de apoio continuará a ter como objectivo que o tecido empresarial nacional aproveite, de forma eficaz, as sinergias entre empresas e o potencial de conhecimento gerado em universidades e outros centros de investigação, criando valor económico e social. A este nível, destacar-se-á o Programa Interface na aceleração do processo de transferência de tecnologia das universidades para as empresas, tendo por objectivo a valorização dos produtos nacionais, o aumento da inovação e a melhoria da sua inserção em cadeias de valor internacionais.

C. Internacionalização da Economia Nacional

Projectos e empresas com forte presença internacional, com pretensão de iniciar ou cimentar a presença em mercados externos, continuarão a ser um dos pilares orientadores dos apoios do Portugal 2020. Destinado às PME e em prol da maior competitividade da economia portuguesa por via da internacionalização e da inovação, será desenvolvido um programa para a criação e desenvolvimento de competências nos quadros de gestão, para o desenvolvimento de ferramentas de apoio à identificação de mercados e para a integração de quadros especializados.

D. Empreendedorismo

A Start-up Portugal, criada com uma visão de alargamento da dinâmica empreendedora a todo o País e a todos os sectores de actividade, continuará a suportar-se dos apoios do Portugal 2020 para promover o sucesso não apenas de novos empreendedores, mas também de actuais empreendedores, assegurando a longevidade das suas iniciativas empresariais e aumentando o seu impacto na criação de emprego e de valor económico nacional.

 

 

 

Fonte: Economia Online

27/04/2017